segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Projeto de Integração do Moodle com SIGA-EUC

Este post tem por objetivo compartilhar um projeto de desenvolvimento sobre a integração do Moodle com Sistema de Gestão Acadêmica SIGA-EDUC. Redigi esse projeto em outubro de 2010 pela empresa Badiu sob demanda de uma Universidade. Não  chegou a ser  implementado. Esse projeto pode lhe ser útil uma vez que descreve as funcionalidades e procedimentos para integrar o Moodle ao sistema de gestão acadêmica.


Integração do Moodle com SIGA-EUC

1- Objetivo   
3- Justificativa  
4 – Funcionalidades do Modulo
5- Cronograma
6- Licença de Uso e Propriedade Intelectual
7- Atualização
8- Suporte
9- Orçamento


1- Objetivo
    Elaborar uma proposta orçamentária sobre integração da Plataforma Moodle com SIGA.

2- Descrição
    Desenvolver um modulo do Moodle que faz integração do Moodle com SIGA.  Trata-se de um sistema que gerencie importação/exportação de registros entre as bases de dados do Moodle e do SIGA.  Em suma, será feita a troca dos seguintes dados: 
SIGA deve importar da base de dados do Moodle a relação de nota dos alunos;
Moodle deve importar do SIGA a relação dos usuários e seus respectivos dados cadastrais;

3- Justificativa
    A Plataforma Moodle é um sistema de gerenciamento de ensino online. É uma ferramenta de trabalho do professor. Em um ambiente institucional de ensino, o seu uso atende as demandas da gestão de atividades pedagógicas do corpo docente. No entanto, não atende as demandas de gestão acadêmica e administrativa.
    O uso do SIGA automatiza o processo gerenciamento acadêmico. Já o Moodle é usado para gerenciar oferta de cursos online. Os dois sistemas não se comunicam entre si. São  plataformas diferentes de software. No entanto, o processo de gestão é integrado. O melhor aproveitamento dos dois softwares consiste em desenvolver uma solução de integração entre as bases de dados.
    A integrando da base de dados dos dois sistemas  garante maior agilidade e eficiência gerencial.   Por exemplo, o ambiente SIGA exporta a relação dos alunos para o Moodle. Isso evita a atividade manual de recadastrar os alunos no Moodle. Por outro lado, o tutor ao fechar a lista de nota no Moodle faz exportação automática para o SIGA. Isso automatiza o processo de trabalho.
    Para que haja essa integração é necessário desenvolver um componente de software que viabilize a troca de dados entre os dois sistemas.
   
   
4 – Funcionalidades do Modulo
    A integração do Moodle com SIGA  será desenvolvido como módulo da Plataforma Moodle para a versão 1.9.9. Tecnicamente, podemos subdividir esse módulo em cinco funcionalidades:
  • Sincronização de usuário;
  • Sincronização de matricula;
  • Importação de usuário do SIGA para Moodle;
  • Exportação de nota do Moodle para SIGA;
  • Designar funções.

4.1 Sincronização de Usuários
    Essa funcionalidade gerencie a identidade dos usuários distribuídos nas bases do SIGA e do Moodle. Para integrar os dois sistemas, é necessário mapear a identidade de cada usuário para evitar duplicação de registro. A identidade pode ser mapeada através de:
  • Chave padrão de identidade;
  • Mapeamento manual.
    A primeira alternativa consiste em definir uma regra de identificação única dos usuários através de uma chave como CPF ou RG etc . A chave definida como padrão serve como parâmetro de identificação dos usuários. Se o CPF for definido como chave de identificação, toda a sincronização de dados entre as bases do SIGA  e do Moodle será feita com base em CPF.
    A segunda alternativa consiste em mapear a replicação de cada usuário, de forma manual nos dois sistemas. Não tendo uma chave padrão, a sincronização deve ser feita manualmente, ou seja, cada usuário do Moodle   será relacionado a um par correspondente no SIGA e vice-versa.
    Em suma, essa funcionalidade implementa um conjunto de regras para garantir a troca de  dados entre as duas bases de forma consistente e sincronizada.

4.2 Sincronização  de Matrícula
    Além da sincronização de usuário, é necessário também efetuar a sincronização da matrícula. Uma matrícula é um vínculo entre um usuário e  um determinado curso ou disciplina ofertada. Um aluno pode ter várias matriculas. Para cada matrícula, terá um conjunto de notas sobre as atividades avaliativas e a nota final.
    As bases de dados do Moodle e do SIGA organizam dados da matrícula de forma diferente. Para exportar a nota dos alunos do Moodle para SIGA é necessário não só mapear a diferença da estrutura de dados das duas bases como também sincronizar as turmas e as matriculas. Cada matricula no Moodle deve ser relacionado ao seu par correspondente, ou  seja, replicado no SIGA. Cada turma, enquanto um conjunto de matrícula vinculado a uma determinada oferta será também relacionada a seu par correspondente no SIGA.
   
   
4.3 Importação de usuário do SIGA para Moodle
    Essa funcionalidade faz a leitura de usuários registrados na base do SIGA  e leva para a base do Moodle. Trata-se de importação dos usuários e seus respectivos dados cadastrais tais como endereço, telefone, e-mail etc. A implementação da regra de sincronização do usuário definida no item 4.1 garante a replicação sincronizada.

4.4 Exportação de nota do Moodle para SIGA
        As notas são lançadas no ambiente Moodle. A menção final do aluno, ou seja, o resultado  de aprovação ou reprovação é registrado oficialmente no SIGA. Para isso, a lista de nota do Moodle deve ser exportada para SIGA. Essa funcionalidade implementa a exportação de forma consistente com base na sincronização de matrícula implementado no item 4.2.

4.5 Designar funções
O sistema Moodle personaliza acesso com base no perfil. Administrador, tutor,  aluno  etc. são perfis diferentes. Cada perfil tem permissão de acesso   diferente no sistema. Essa regra também se aplica ao módulo integração em questão.   A tabela abaixo explicita as permissões por perfil.


Permissões/Perfil

Admin

Tutor

Aluno

Sincronização de usuário

x







Sincronização de turma

x







Importação de usuário do SIGA
para Moodle

x







Exportação de nota do Moodle
para SIGA

x

x




O Administrador do Moodle terá permissão total. Já ao professor/tutor cabe apenas fazer exportação de nota para o sistema SIGA.


5- Cronograma

Atividade/Mês

Mês I

Mês II

Mês III

Mês IV

Levantamento/Homologação
de requisitos

x










Sincronização
de usuário - Item 4.1

x

x

x




Sincronização
de turma - Item 4.2

x

x

x




Importação de
usuário do SIGA para Moodle - Item 4.3




x

x




Exportação de
nota do Moodle para SIGA- Item 4.4




x

x




Designação
funções- Item 4.5







x

x

Documentação










x

Instalação










x

Teste







x

x
    Como mostra a tabela acima, o sistema será entregue completamente em um prazo de 5 meses.

6- Licença de Uso e Propriedade Intelectual
    A Plataforma Moodle é licenciada como software livre.  O de integração  com SIGA que se propõe desenvolver deve ser licenciado como software livre assim como o Moodle. Desta forma, toda a comunidade do Moodle poderá colaborar para o seu aperfeiçoamento.
    A propriedade intelectual desse software deve ser compartilhada entre todos que colaboraram para o seu desenvolvimento. 
    Qualquer distribuição do software deve conter informações sobre a identidade e contato dos colaboradores.

7- Atualização
    Esse sistema está sendo desenvolvido para a versão 1.9.9 da Plataforma Moodle. A cada semestre sai uma nova atualização do Moodle. As novas versões nem sempre conservam a compatibilidade com as versões anteriores. Sendo assim, poderá ser necessário atualização  em caso de incompatibilidade com futuras versões do Moodle. Eventuais atualizações serão implementadas mediante uma nova proposta orçamentária.

8- Suporte
    Após a instalação, será garantida três meses de suporte para ajustar ou corrigir as falhas oriundo do desenvolvimento. Nesse período, o cliente deve mapear todas as possíveis falhas e monitorar se o software que encomendou foi exatamente o que lhe foi entregue.  Passando dessa data, o suporte só poderá ser prestado mediante um contrato de manutenção ou  demanda por serviço. Em caso de demanda  por serviço, será cobrado R$---- por hora de serviço. Em caso de contrato de manutenção com valor fixo mensal, o valor será definido em função das condições e acordo firmado entre as partes. 

9- Orçamento

Funcionalidade/Recursos

Referência

Valor

Sincronização
de usuário

Item 4.1

----

Sincronização
de turma

Item 4.2

-----

Importação de
usuário do SIGA para Moodle

Item 4.3

----

Exportação de
nota do Moodle para SIGA

Item 4.4

----

Designar funções

Item 4.7

----

Documentação

Documentação do
usuário seguindo o padrão do Moodle

----

Instalação/Teste

Teste para
verificação de erros

---

Total

-----
    O custo total de desenvolvimento e  implementação é de R$ -----.  Esse custo não contempla eventuais demandas de atualização descrito no item 7.  

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Navegação no Ambiente do Moodle

Esse post tem por objetivo apresentar a estrutura de navegação padrão do ambiente do Moodle. Embora o layout do Moodle pode ser cutomizado, a sua estrutura de navegação padrão geralmente é mantida.

O conteúdo desse post será dividido em três tópicos:





1 - Estrutura do site Moodle
O layout padrão do Moodle traz a estrutura apresentada na imagem abaixo:


O site é fragmentado é vários compartimentos como mostra a figura acima. Segue a legenda de cada compartimento:
  1. Cabeçalho do site
  2. Barra de navegação
  3. Painel de conteúdo
  4. Painel de blocos (lateral esquerdo)
  5. Painel de blocos (lateral direito)
  6. Rodapé do site

Cabeçalho do site
O cabeçalho do site geralmente é usado para colocar o logo da instituição. No layout padrão e na maioria dos layouts (thema), o canto direito é reservado para exibir informação sobre o login. Se o usuário não estiver logado, será exibido o link Acesso que aponta para o formulário de login. Caso o usuário estiver logado, será exibido o nome acompanhado do link Sair para fazer logout do sistema.

Barra de navegação
A barra de navegação orienta o usuário em qual parte do site ele está navegando. A medida que o usuário navegue, essa barra exibe o percurso da navegação. Se o usuário estiver no ambiente de uma atividade, a barra de navegação lhe oferece o link para voltar ao ambiente do curso e para a página principal.

Painel de Conteúdo
Painel de conteúdo é área central da página. Ao acessar a página principal do Moodle, por padrão, é exibida a relação dos cursos disponíveis. Já ao acessar o ambiente do curso, será exibida o conteúdo (recursos e atividades) disponibilizados no curso.

Painel dos Blocos
Os blocos ficam na lateral da página. No Moodle os menus são organizados em blocos. Toda a administração do site é feita pelo bloco de administração do site. Da mesma forma, as principias funcionalidades de gerenciamento do curso estão no bloco de administração do curso. Os blocos podem ser organizados tanto na lateral direito e esquerdo da página. Além de função de menu, os blocos são usados para exibição de conteúdo. Isso significa que toda a parte lateral da página pode ser preenchida com conteúdo de qualquer natureza como arquivos para download, vídeos, imagens e textos.

Rodapé do site
No layout padrão do Moodle, no rodapé fica o logo do Moodle e informação sobre usuário autenticado. Esse espaço geralmente é aproveitado para publicar endereço e telefone da instituição.

Conhecendo bem a estrutura do site do Moodle, fica fácil navegar ou localizar os recursos. É necessário ressaltar que os links de navegação ficam organizados nos blocos. Para navegar no conteúdo do curso, basta navegar no painel de conteúdo onde será exibido o conteúdo (recursos e atividades) dos cursos.


2- Logar/Logout
Ao entrar no ambiente do Moodle, o usuário só terá acesso ao conteúdo do curso se estiver logado. Por padrão, o link Acesso disponível no canto superior direito do cabeçalho e também no rodapé leva o usuário ao formulário de login como mostra a figura abaixo.



Como mostra a figura acima, antes do link Acesso, há um texto informativo, lembrando ao usuário que o login ainda não foi feito. Ao clicar no link Acesso, será exibido o formulário de login como mostra a figura a seguir.





O formulário de login oferece a possibilidade de logar como visitante. Basta clicar no botão Acessar como visitante. Você pode acessar como visitante usando guest no campo login (Nome do usuário) e também no campo senha.

Há também a possibilidade de configurar o bloco de acesso na página principal no menu lateral direito ou esquerdo.


O bloco de acesso é mais prático. Elimina a necessidade de clicar no link Acesso. O usuário entra com os dados de autenticação e já acessa o ambiente do curso.

Se a autenticação for efetuada com sucesso, o nome o usuário logado será exibido no canto superior direito do cabeçalho do site e também no rodapé. Para ter certeza que efetuou login com sucesso, é necessário conferir se o seu nome aparece como usuário logado ao lado do link Sair, como mostra a figura abaixo.



Ao terminar de navegar no site, é recomendado sair, clicando no link Sair, que fica ao lodo do nome. Assim, você evita que outras pessoas acessem a sua sessão (ambiente de Moodle logado por você) para fazer gracinha ou passar trote em seu nome.




3 - Navegação no curso

Ao acessar a página principal do Moodle, geralmente é exibido uma lista de cursos disponíveis. Ao clicar em um determinado curso, o usuário é direcionado à página de login. Caso já tenha logado, será direcionado diretamente ao ambiente do curso.

Ambiente do curso para o perfil do aluno
Caso o usuário logado tenha o perfil de aluno, será exibido uma tela similar a figura abaixo.


Como mostra a figura acima, todo o conteúdo do curso é exibido no painel de conteúdo contornando com a linha vermelha. Na lateral são exibidos os blocos de pesquisa, eventos, atividades e perfil. 

Para acessar qualquer conteúdo de atividade do curso, basta clicar no link da atividade ou recurso organizado nos blocos ou tópicos.


Ambiente do curso para o perfil do tutor
Se o usuário logado tiver perfil de tutor, será exibido uma tela similar a figura abaixo.

Diferente da visualização do aluno, o layout do tutor disponibiliza opções de gerenciamento do curso. No menu lateral esquerdo fica o bloco de administração. Nesse bloco há opções de:
  • Inscrição do aluno
  • Gerenciamento de grupo (Turma)
  • Gerenciamento de nota
  • Emissão de relatórios
  • Backup/Restauração de curso
  • Importação de conteúdo de outro curso
  •  Gerenciamento de banco de questões
  • etc

Além dessas opções de gerenciamento, o tutor pode ativar o curso para o modo de edição. Basta clicar no botão Ativar edição no canto superior direito, o painel de conteúdo ficará em modo de edição como mostra a figura abaixo.


No modo edição é exibido um conjunto de ícones (mover, atualizar, excluir, ocultar e permissão) ao lado de cada conteúdo do curso. Esses ícones servem para gerenciar um conteúdo que já foi criado. Para adicionar um novo conteúdo, basta selecionar o menu de opções de recurso ou atividade no final do tópico.

Consideração Final
A navegação no curso é muito simples. Caso estiver perdido, basta observar a barra de navegação que fica na horizontal, abaixo do cabeçalho da página. Nessa barra, você pode voltar à pagina principal do Moodle ou ao ambiente do curso.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Inscrição de Aluno e Tutor no Curso do Moodle

    Este post tem por objetivo demonstrar como matricular ou inscrever um usuário no curso do Moodle com perfil   aluno ou tutor.    
    No ambiente Moodle, o perfil do usuário é denominado função. Perfil é um conjunto de permissão de acesso ao sistema. A distribuição padrão do Moodle traz alguns perfis pré-definidos tais como:
  • Administrador
  • Autor do curso
  • Tutor
  • Tutor sem permissão para edição
  • Estudante
  • Visitante
  • Usuário autenticado
    Cada um desses perfis vem com uma determinada configuração de acesso. Você pode criar novos perfis ou alterar as permissões já existentes. O perfil de tutor e aluno (Estudante) já vem configurado no Moodle. O tutor tem permissão para editar conteúdo do curso e avaliar o aluno. Já o aluno não tem a permissão de edição de conteúdo. Apenas acessa os conteúdos e faz as atividades disponibilizadas no curso.
    Para matricular um aluno é necessário vincular um usuário cadastrado no sistema Moodle a um determinado curso com perfil aluno. A mesma regra se aplica  para os demais perfis ou funções.

O procedimento para  inscrever um aluno ou tutor no curso varia um pouco da versão 1.9 para 2.0. A variação é pequena. A lógica de funcionamento permanece a mesma. A seguir será demonstrado passo a passo para ambas as versões do Moodle, a 2.0 e 1.9.

   
   


Inscrição no Curso do Moodle para a versão 2.0


1° Passo-  Acesse o ambiente do curso
Entre no ambiente do curso com a senha do tutor ou do administrador.

2° Passo – Acesse o gerenciamento de inscrição
No bloco de administração do curso, navegue nas opções Usuários/Enrolled user
 
    Feito o click, será exibido uma pagina com a relação dos usuários inscritos caso houver.
 
3° Passo – Acessar o formulário de inscrição
    Para acessar o formulário de inscrição, clique no botão Enrol user na parte superior ou inferior do painel de gerenciamento da inscrição. 


Feito o click, será aberta uma janela com o formulário de inscrição.

4° Passo – Inscrição e  de usuário

Para inscrever o usuário no curso, basta selecionar o perfil, (a função) e clicar no botão Enrol correspondente ao usuário que pretende inscrever. A função estudante já vem definida como padrão no formulário. Caso pretenda inscrever o usuário com função de tutor ou outro perfil, basta selecionar a função desejada na caixa de seleção Designar funções

O formulário de inscrição vem com as seguintes opções:
  • Designar funções – Esse campo define a função ou perfil do usuário a ser inscrito no curso. Por padrão, o perfil estudante já vem selecionado.
  • Enrolement option – Define as configuração sobre o período da validade da inscrição. Para visualizar as opções, basta clicar no ícone de seta. Ao abrir essa opção, há dois campos de configuração:
  • Iniciado em – Esse campo determina a data inicial da validade de inscrição.
  • Período de validade da inscrição – Esse campo determina a data final da validade de inscrição em quantidade de dias computado a partir da data de início da inscrição.


    Inscrição no Curso do Moodle para a versão 1.9

1° Passo-  Acesse o ambiente do curso
Entre no ambiente do curso com a senha do tutor ou do administrador.

2° Passo – Acesse o gerenciamento de inscrição
No bloco de administração do curso, navegue nas opções Designar Funções


Feito o click, será exibido uma pagina com a relação de todos os perfis (funções) cadastrado no Moodle.

3° Passo – Acessar o formulário de inscrição
    Para acessar o formulário de inscrição, clique no perfil que queira inscrever os usuários. Para inscrever inscrever os alunos no curso, clique no link Estudantes.

O formulário de inscrição vem com as seguintes opções:
  • Função que será designada – Esse campo define a função ou perfil do usuário a ser inscrito no curso. Por padrão, o perfil estudante já vem selecionado.

  • Período de validade da inscrição – Esse campo determina a data final da validade de inscrição em quantidade de dias computado a partir da data de início da inscrição.
  • Iniciado em – Esse campo determina a data inicial da validade de inscrição. 

Consideração Final
    Como você já notou, cadastrar um aluno no curso é muito fácil. Basta ter perfil de tutor ou de administrador. A configuração padrão do Moodle exclui a inscrição dos alunos no curso após 120 dias sem acesso ao executar o cron.php. Caso queira ter controle sobre o cancelamento das inscrições, será necessário alterar essa configuração. 

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Criar Grupo de Usuário no Ambiente de Curso do Moodle

    No sala de aula virtual do Moodle, os alunos podem ser organizados em grupos. Isso possibilita criar grupos de trabalho entre os alunos no ambiente do curso ou também fazer divisão do curso em várias turmas. 

    Este tutorial tem por objetivo explicar como criar grupos de usuário no ambiente do curso da versão 2.0 do Moodle. O procedimento não é diferente para aqas versões anteriores. 
Para criar o  grupo, siga os seguintes passos:

1° Passo-  Acesse o ambiente do curso
Entre no ambiente do curso com a senha do tutor ou do administrador.

2° Passo – Acesse o gerenciamento do grupo
No bloco de administração do curso, navegue nas opções Usuários/Grupos.


Caso estiver na versão 1.9, basta clicar na opção Grupos no bloco de administração do curso. 


Ao acessar o gerenciamento de grupo, será exibido uma página dividido em dois painéis. O  primeiro painel informa os grupos criados. O segundo informa os participantes de um determinado grupo. 

3° Passo - Crie o grupo

    Clique no botão Criar grupo  no painel de gerenciamento de grupos. 

Feito o clique, será aberto o formulário de cadastro de grupo.

4° Passo – Preencha o formulário de cadastro
Preencha o formulário com os dados do grupo.

5°  Passo – Salvar mudanças
  Clique no botão Salvar mudanças para gravar os dados no banco de dados.  Feito isso, será exibido o painel de gerenciamento de grupo. Será exibido nesse painel os grupos recém-criados, como mostra a figura abaixo.

A figura acima indica que dois grupos foram criados no ambiente de curso: Grupo A e Grupo B. O valor zero entre parêntese indica que ainda nenhum participante do curso foi adicionado ao grupo.

    Agora você já viu como criar grupo no Moodle. É um procedimento muito simples. Para fazer um bom aproveitamento desse recurso, é necessário ter um bom planejamento do curso. Caso contrário, pode se tornar uma dor de cabeça.

domingo, 5 de junho de 2011

Configurar Peso das Questões do Questionário do Moodle com Números Decimais

    No questionário do Moodle cada questão tem um peso na composição da nota. No entanto, o campo do formulário para configuração do peso não aceita números decimais nas versões inferiores a 2.0. Neste caso,  a alternativa consiste em alterar o total da pontuação do questionário para escala centesimal ou milhar e  atribuir o peso na escala centesimal. 

    Bem, para entender melhor, vamos ver exemplo de um questionário que é composta por 5 questões.  Cada questão tem o seguinte peso:

Questão I – peso 2
Questão II – peso 2
Questão III -  peso 3
Questão IV-  peso 0,75
Questão V – peso 2,25

Total de pontuação=10
Nota máxima=10

Se somarmos o peso de cada questão, a pontuação total será 10. Até aqui está tudo bem. O problema é que o formulário de configuração do peso não aceita a inserção de números decimais nas versões anteriores a 2.0. Caso atribua o número decimal, automaticamente  o sistema converte para número inteiro.  Isso significa que o peso 0,75 da questão IV será convertida para 1. A da questão V,  2,25  será convertida para 2. Isso naturalmente altera a pontuação total dos pesos e causa um desiquilíbrio.

Isso pode causar desespero, ainda mais se a equipe pedagógica estiver no seu cangote esperando uma solução. O pedagogo não aceita o argumento que tem que se ajustar a tecnologia quando o razoável seria o inverso.  Então,   após pensar um pouco, vem a ideia de converter os valores do peso para escala centesimal. Para isso, basta multiplicar cada peso por 100. Assim,   ao multiplicar 0,75 por 100, teremos 75. A mesma regra se aplica aos demais pesos.  Dessa foram, a nova  configuração ficará assim:

Questão I – peso 200
Questão II – peso 200
Questão III -  peso 300
Questão IV-  peso 75
Questão V – peso 225

Total de pontuação=1000
Nota máxima=10

Bem, nessa nova configuração, convertemos os pesos para números inteiros na escala centesimal. O total da pontuação alterou de 10 para 1000. No entanto, a nota máxima  continua valendo 10. Nesse momento, você deve estar questionando a razão da nota máxima ser diferente do total da pontuação. A resposta é simples. A nota máxima é sempre a proporção do total da pontuação. Se o aluno alcançar 100% da pontuação, ou seja, tiver 1000  pontos, a sua nota será 10. Se tiver 750 pontos, a nota será 7,5.

    Agora que já ficou claro a lógica de configuração, vamos demonstrar passo a passo  como aplicar essa configuração no Moodle. Os passos da demonstração é da versão 1.9. Também se aplica a versões anteriores.

1°  Passo – Entre no ambiente do curso
    Logue no curso com  a senha do tutor ou do administrador

2°  Passo – Acesse o questionário
    Clique na atividade questionário que deseja alterar a configuração. Caso estiver criando um questionário,  essa etapa não será necessária, basta clicar no botão Salvar e mostrar para entrar na área de configuração das questões.

 3°  Passo – Acesse a configuração do peso das questões
    Ao entrar no ambiente do questionário, clique no menu Modificar para acessar o ambiente de configuração das questões.

Caso estiver na versão 1.9.11, essa opção será Editar.

4°  Passo – Altere a configuração do peso

    Atribua o peso de cada questão como mostra a figura abaixo.

Observe que a soma dos pesos é 1000 mas a nota máxima é 10. A nota máxima, ou seja, a escala de nota do questionário não precisa ser igual a total de pontuação.

5°  Passo – Salvar mudanças

  Clique no botão Salvar mudanças para gravar as alterações no banco de dados.

Um vez feita a configuração, já pode liberar o questionário para os alunos. Após o preenchimento, o aluno verá a pontoação alcançada na escala centesimal e a  nota na escala decimal, como mostra a figura a seguir. 

Como mostra o relatório do questionário, a nota do aluno é 7,38. Essa nota é que será lançada no quadro geral de notas.

    É bom lembrar que  alteração da configuração do peso para escala centesimal deve ser feita antes dos alunos preencherem o questionário. Caso for feita depois, pode causar desconfiguração. Já a nota máxima pode ser alterada mesmo após o preenchimento do questionário.
    A limitação das versões anteriores a 2.0 de não aceitar a configuração do peso com número decimal, do ponto de vista técnica,  não é meramente uma falha da codificação do Moodle. É uma limitação da arquitetura do sistema. mdl_quiz_question_instances é a tabela da base de dados que armazena o peso  das questões. Simplesmente o campo grade foi definido aceitar apenas números inteiros. Já na versão 2.0, esse campo foi alterado para aceitar números decimais.

Em suma, a configuração do peso é muito simples. Caso não estiver satisfeito com a pontuação na escala centesimal, a solução é migrar para a  versão 2.0.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Atividade Condicionada no Moodle

Na versão 2.0 do  Moodle  há possibilita criar atividade condicionada, ou seja, é possível definir os pré-requisitos de uma atividade.  O aluno só consegue avançar para a próxima atividade em função do resultado que tiver nas atividades anteriores.
    O condicionamento de uma atividade pode ser feito através de:
  • Data
  • Nota
  • Progresso (Atividade completada)
Neste post será apresentado os procedimentos para a configuração de uma atividade condicionada pela nota.  Para tornar mais prático a explicação, vamos apresentar a configuração do curso de Introdução à Sociologia. Veja a seguir o layout do curso organizado no Moodle.



Como mostra a figura, o curso é organizado em duas unidades. Na primeira há dois textos e dois exercícios. Na segunda unidade, também há dois textos e dois exercícios. Além disso, há um trabalho final e uma prova de recuperação. A escala de nota para todas as avaliações varia de 0(zero) a 10. Sendo 0 (zero)  a  nota mínima, 10   a nota máxima.


    Agora vamos criar um conjunto de regras que determinam a sequência do aluno no curso. Cada texto e avaliação deve ser condicionada ao desempenho  nas atividades anteriores.

Regras de Condicionamento

1. Inicialmente só deve ficar disponível para o aluno o Texto I e o Exercício I.

2. Caso o aluno tiver a nota maior ou igual a 5 no Exercício I, serão liberada as seguintes atividades:
  • Texto II
  • Questões de orientação de leitura (do Texto II)
  • Exercício II

3. Caso o aluno tiver a nota maior ou igual a 5 no exercício II, serão liberada as seguintes atividades:
  • Texto III
  • Exercício III

4. Caso o aluno tiver a nota maior ou igual a 5 no exercício III, será liberada o texto IV.

5. Caso o aluno tiver a nota maior ou igual a 7 nos exercícios II e III, será liberada o exercício IV.

6. Caso o aluno tiver a nota maior ou igual a 7 nos exercícios III e IV, será liberada o trabalho final.

7. Caso a nota final do aluno no curso for entre 3 e 5, será liberado a prova de recuperação.


Pelas regras de condicionamento, ficou claro que o aluno só consegue avançar nas próximas atividades se tiver desempenho satisfatório nas atividades que são pré-requisitos. É necessário ressaltar também que  a prova de recuperação será exibida apenas aos alunos que tiverem a nota final baixa, ou seja, menor ou  igual a 5 e maior ou igual a 3.

Configuração de Pré-requisito no Moodle

Agora vamos implementar as regras do pré-requisito no ambiente do curso do Moodle.

1° Passo – Ativar a configuração do condicionamento
    Por padrão, o Moodle vem com a opção de condicionamento desativada. Para ativá-lo, siga orientação no post: http://moodleeduc.blogspot.com/2011/05/ativar-configuracao-da-atividade.html

2° Passo - Acesse  o ambiente do curso
    Entre no ambiente do curso com a senha do tutor ou do administrador;
   
3° Passo – Condicionar uma atividade com base na nota de uma avaliação
    As regras 2, 3 e 4 definem o condicionamento com base na nota de uma única  atividade.  Vamos demonstrar como implementar a regra 2. O mesmo  procedimento se aplica para as regras 3 e 4.


a) Clique no ícone edição de configuração do Texto II


Feito o clique, será exibido o formulário de configuração. Role a barra de rolagem até o final e localize a opção de condicionamento.

c) Selecione Exercício I no campo Condicionamento por nota (Grade condition). Em seguida, coloque 50 no campo percentagem da nota mínima (must be at leat). Isso define que a nota mínima para liberar a atividade é 50% da nota máxima.


d) Clique no botão Salvar e voltar ao curso.

e) Repita o mesmo procedimento para as regras 3 e 4.

4° Passo – Condicionar uma atividade com base na nota de duas avaliações
As regras 5 e 6 definem o condicionamento com base na nota de duas  atividades.  Então vamos demonstrar como implementar a regra 5. O mesmo  procedimento se aplica para a regra 6.

a) Clique no ícone edição de configuração do Exercício IV para implementar a regra 5.
 

Feito o clique, será exibido o formulário de configuração. Role a barra de rolagem até o final e localize a opção de condicionamento.

b) Clique no botão Add 2 grade conditions to form (Adicionar mais 2 campos de condicionamento de nota).

Por padrão, só vem um campo de condicionamento. Caso o condicionamento for feita  com mais de uma avaliação,  será necessário adicionar mais campos.

c) Selecione os exercícios III e IV e defina a nota mínima 7, ou seja, 70% como mostra a figura abaixo. Como a nota máxima é 10, 70% equivale a nota 7.





d) Clique no botão Salvar e voltar ao curso.

e) Repita o mesmo procedimento para as regras  6.

5° Passo – Condicionar com base na nota final
Agora vamos implementar a regra 7 que define a liberação da prova de recuperação com base no resultado da nota final.

a) Clique no ícone edição de configuração da prova de recuperação



b) Selecione a opção Total do curso na lista das avaliações.
Digite no primeiro campo, a  referente a nota mínima  (must be at leat) , 30 (para representar 30%)  e no segundo campo, a referente a nota inferior (less then), 50 (para representar 50%) , como mostra a figura abaixo. Tendo em conta que a escala de nota varia de 0 a 10, 30% equivale a nota 3 e 50% equivale a nota 5. Essa configuração libera a prova de recuperação apenas aos alunos que tiverem nota entre 3 e 5.

c)Para ocultar a prova final na tela, selecione a opção Hide activity entrely no campo Before activity is available.



Essa opção  oculta a prova de recuperação a invés de bloquear. Só será exibida caso o aluno tiver nota baixa, ou seja, entre 3 e 5.

Considerações Finais

Uma vez feita todas  as configurações como determinam as regras, será liberado para o  aluno apenas o Texto I e o Exercício I. Os demais ficarão bloqueados até que ele cumpra os pré-requisitos, como mostra a figura a seguir.


 



























  

Deu para notar que as atividades condicionadas que não foram ocultadas aparecem bloqueadas, ou seja, o  link é desativado e o texto fica com a cor cinza. Ao lado de cada atividade  condicionada, é exibida a restrição de bloqueio.

A prova de recuperação está oculta, pois não aparece bloqueada como as demais atividades. Sendo assim, apenas os alunos que tiverem nota entre 3 e 5 terão conhecimento dessa atividade.

    Bem, já deu para notar que a configuração do pré-requisito das atividades é simples. Isso representa um grande avanço do Moodle 2.0. Esse recurso será bem aproveitado caso houver um planejamento bem definido.

Ativar Configuração da Atividade Condicionada no Moodle

A partir da versão 2.0 do Moodle, foi adicionada a atividade condicionada. É uma configuração que possibilita liberar uma atividade ao aluno após o cumprimento dos pré-requisitos. Essa funcionalidade não vem ativada na distribuição padrão do Moodle.

    Então, para ativá-la, siga os seguintes passos:

1°  Passo – Acesse o  Moodle
 Acesse o Moodle com a senha do administrador

2°  Passo – Acesse  o link de  configurações avançadas
Clique no link Opções avançadas no bloco Administração de site


Após o clique, será abeto um extenso formulário de configuração.

2°  Passo – Ativar o condiciamento
    Role a barra de rolagem até o final. Localize a opção Habilitar o condicionamento (Enable conditional availability). Na versão 2.0, é a penúltima opção do formulário. Ao localizar, marque a caixa de seleção para ativar.


3°  Passo – Salvar alterações

Localize o botão Salvar mudanças  no final do formulário. Clique nesse botão para gravar a configuração.

 Isso é tudo que você precisa para ativar o condicionamento das atividades. Agora, ao  acessar o formulário de cadastro/edição de qualquer recurso ou atividade no ambiente do curso do Moodle, no final será exibido as opções de condicionamento como mostra a figura abaixo.

 
  Como mostra o formulário acima, o condicionamento pode ser feita pela data e  nota. Também é possível restringir quando uma atividade for completada. Bem, isso é papo para outro post. Caso você queira saber como definir os pré-requisito de uma atividade com base em nota, dê uma lida neste post: http://moodleeduc.blogspot.com/2011/05/atividade-condicionada-no-moodle.html

sábado, 9 de abril de 2011

Restringir Acesso ao Bloco no Ambiente Moodle

    No Moodle você pode criar blocos  e restringir permissão de acesso a um determinado grupo de usuário. Isso possibilita disponibilizar informação, conteúdo ou  link dentro do ambiente do curso apenas para os tutores ou também na página principal do Moodle apenas para o administrador.

    Ao criar um bloco no Moodle, geralmente fica disponível para todos os grupos de usuários. Para restringir acesso a um determinado grupo, é necessário alterar a configuração de permissão. Nesse tutorial vamos explicar como criar um bloco no ambiente do curso em que apenas o tutor ou o administrador podem visualizar. Os  alunos e os visitantes não poderão visualizar.

    A configuração do bloco tanto na página principal quanto no ambiente do curso é a mesma. No versão 2.0 do Moodle o procedimento para a  configuração de permissão do bloco mudou em relação a versão 1.9. Sendo assim, a explicação dos passos será separada para cada versão.


Restringir Permissão do Bloco no Moodle 2.0

1° Passo   - Acesse o ambiente do curso
Logue no Moodle com a senha do administrador ou do tutor. Entre no ambiente de um determinado curso. Case logar como tutor, não poderá restringir permissão para alguns perfis como administrador, autor do curso e tutor. 

Caso preferir criar na página principal do Moodle, logue com a senha do administrador. Navegue no link Página Inicial/Configurações da página principal ou em Página Inicial/Funções da página principal no bloco de administração do site.  Feito isso, clique no botão Habilitar Edição de Bloco na parte superior direito. Assim, o menu de gerenciamento de bloco será exibido no ambiente do curso no lateral da página.  

2° Passo – Ative a edição

Clique no botão ativar edição na parte superior direito. Feito isso, o menu de gerenciamento de bloco será exibido no ambiente do curso no lateral da página. 

3° Passo – Selecione o tipo de bloco

Selecione o tipo de bloco que pretende criar na caixa de seleção. Nesse execício, vamos selecionar o bloco HTML, mas você pode selecionar outro tipo de bloco.


Ao selecionar, será exibido um bloco  vazio já que o conteúdo ainda não foi adicionado.

4° Passo – Acesse a permissão do bloco
Clique no ícone de permissão como mostra a figura abaixo.


Feito isso será exibida um painel de gerenciamento de permissão. Se isso não acontecer ou  aparecer alguma mensagem dizendo que você não tem permissão para isso, não preocupe. Localize o bloco de configuração na lateral da página como mostra a imagem abaixo.

Isso é exibido quando você clicar no ícone de permissão do bloco. Agora clique no link Permissões, a contornada em vermelho como mostra a imagem acima. Agora sim, o painel de gerenciamento de permissão será exibida.

5° Passo - Cancelar permissão
 Exclua os grupos de usuários que não devem acessar:
  • Usuário Autenticado
  •  Vistante (Guest)
  • Estudante
  •  Autor do curso (Course creator)


Para cancelar a permissão, siga os seguintes passos:

a) Clique no ícone X (destacado em vermelho na figura acima) do usuário que será excluído. Feito isso, será exibido uma  mensagem de confirmação.

b)  Confirme o cancelamento clicando no botão Continuar.

Feito isso, a permissão será excluída.

c)Repita o mesmo procedimento dos passos a) e  b) para os demais grupos de usuários que não devem visualizar o bloco.

 Isso é tudo que você precisa fazer. Agora faça um teste e verifique se está tudo ok.


Restringir Permissão do Bloco no Moodle 1.9

1° Passo   - Acesse o ambiente do curso
Logue no Moodle com a senha do administrador. Entre no ambiente de um determinado curso. Caso preferir criar na página principal, acesse basta acessar a página principal do ambiente Moodle.  

2° Passo – Ative a edição
Clique no botão Ativar edição na parte superior direito. Feito isso, o menu de gerenciamento de bloco será exibido no ambiente do curso no lateral da página. 

3° Passo – Selecione o tipo de bloco
Selecione o tipo de bloco que pretende criar na caixa de seleção. Nesse execício, vamos selecionar o bloco HTML, mas você pode selecionar outro tipo de bloco.

 Ao selecionar, será exibido um bloco  vazio já que o conteúdo ainda não foi adicionado.

4° Passo – Acesse a permissão do bloco
Clique no ícone de permissão como mostra a figura abaixo.


Feito isso, será exibida a área de permissão do bloco.

5°  Passo – Sobrepor permissão
Como o bloco herda permissão padrão que libera o acesso a todos os perfis do usuário, para restringir permissão, é necessário fazer sobreposição.  Para isso, clique no aba Sobrepor permissão.
 
6° Passo -Cancelar permissão
Cancele permissão de acesso para cada grupo de usuário que não deve acessar o bloco. Para manter permissão para tutor e administrador, cancele a permissão para os seguintes perfis:
  • Usuário Autenticado
  • Vistante 
  • Estudante
  • Criador do curso
 Ao selecionar o perfil do  usuário, basta ativar a opção  Evitar. Vamos começar o com o visitante.

a) Selecione o perfil visitante 

Feito isso, será exibida as opção de acesso. A opção Herdar vem marcada por padrão.

b) Desativar permissão
Marque a opção Evitar 
 
e) Clique no botão salvar Mudanças
Após ativar o botão Evitar, clique em Salvar mudanças.


Feito esse procedimento, os visitantes não visualizarão mais o bloco. No entanto, os demais grupos continuarão visualizando. Como o bloco deve ficar visível apenas para os tutores e administradores, repita o mesmo procedimento do passo a) a e) para os demais grupo de usuários. Agora já pode testar para verificar se tudo deu certo. 


Considerações Finais

Agora que você já sabe como configurar a permissão será moleza customizar o ambiente do seu curso com blocos.

 Tratando-se da página principal, é necessário ressaltar que se deve restringir acesso ao usuário autenticado para cancelar permissão aos usuários que não estão inscritos no contexto do sistema. Se um usuário estiver inscrito no contexto de um curso como aluno ou tutor, ele consegue visualizar um bloco na página principal, mesmo que se tenha cancelado a permissão para perfil aluno e tutor. Isso acontece uma vez que na página principal o usuário logado é identificado como usuário autenticado caso não estiver inscrito nesse contexto.
 
  A versão 1.9.3 do Moodle, embora suporta a configuração de restringir permissões por perfil, os testes não deram resultado satisfatório. Mesmo  cancelando acesso a um determinado grupo de usuário, o bloco continua visível. Se você tiver versão 1.9.3 ou inferior essa configuração pode não funcionar.  Agora bom trabalho, ou seja, boa configuração do seu Moodle.